Um Conto de Duas Crateras
NASA/JPL/Universidade do Arizona
Um Conto de Duas Crateras
ESP_013799_1755
Inglês  Espanhol  

twitter  •  google+  •  tumblr

FONDO
800
1024
1152
1280
1440
1600
1920
2048
2560

As duas crateras nesta sub-imagem possuem tamanhos similares, mas aparências muito diferentes. Isto porque elas são de idades diferentes. Consegue dizer qual é a mais velha?

Às vezes é possível deduzir idades relativas usando um princípio da geologia chamado “sobreposição”. Significa que uma feição formada posteriormente à outra tende a se sobrepor à feição mais antiga. Por exemplo, o material ejetado pelo impacto de uma cratera mais nova será sobreposto a uma cratera mais velha próxima. Esta situação particular não é muito óbvia nesta imagem, embora seja possível ver sinais disso na imagem JPEG2000 de alta resolução.

Entretanto, existem algumas evidências mais óbvias da idade relativa delas. A cratera maior (aproximadamente 45 metros) é menos profunda em relação ao seu tamanho, e suas paredes são menos íngremes. Além disso, há uma textura diferente em seu interior, o que poderia indicar a existência de pequenas dunas ou terrenos ondulados formados pela ação do vento. Para isso seriam necessários muitos anos. A cratera menor (10 metros) aparentemente não exibe nenhum padrão diferente em seu interior e isso é um indicativo de que ela é mais jovem.

Outra pista é a área escura ao redor da cratera menor. É uma área onde os sedimentos mais claros da superfície foram removidos pelo impacto, ou onde o material ejetado pelo evento formou aquelas faixas escuras. Pequenos sulcos podem ser vistos estendendo-se radialmente a partir da menor cratera, formados pelo material ejetado que em alguns locais formou pequenas crateras secundárias. Este tipo de feição é bastante recente. Algo assim não dura muito tempo na superfície de Marte por causa da ação do vento que erode ou cobre estas feições de sedimentos. Portanto, estas são mais pistas que favorecem a hipótese de que a cratera menor é mais recente.

Como se o que foi discutido já não bastasse, uma imagem do local tomada em 2005 pode ser vista aqui. Esta imagem HRSC (High Resolution Stereo Camera, abordo da sonda Mars Express) retrata a mesma cena. Note que a área escura ao redor da cratera menor ainda não havia se formado. Uma vez que estas áreas se formam ao redor de crateras novas, isto fortalece a conclusão anterior, baseada apenas na aparência das duas crateras, de que a menor delas é mais jovem.

Tradução: Thiago Statella
 
Data de aquisição:
06 julho 2009

Hora de Marte:
2:28 PM

Latitude (geocêntrica):
-4°

Longitude (positiva a Leste):
265°

Altitude da nave espacial:
256 km

Escala original da imagem:
26 cm/pixel (com 1 x 1 binning) e objetos de 77 cm de lado são resolvidos

Escala projetada:
25 cm/pixel

Sistema de projeção:
Equirretangular (e o norte está localizado em alta)

Ângulo de visada:


Ângulo de fase:
39°

Ângulo zenital solar:
40°, e o Sol está localizado 50° acima do horizonte

Longitude solar:
299°, inverno do norte

JPEG
Branco e preto
projectado  sem projecção

Cor IRB:
projectado  sem projecção

Cor combinada IRB:
projectado

Cor combinada RGB:
projectado

Cor RGB:
sem projecção

JP2 PARA BAIXAR
Branco e preto:
projectado (161 MB)

Cor IRB:
projectado (163 MB)

JP2 EXTRAS
Branco e preto:
projectado
(75 MB)
,
sem projecção  (102 MB)

Cor IRB:
projectado  (47 MB)
sem projecção  (202 MB)

Cor combinada IRB:
projectado  (48 MB)

Cor combinada RGB:
projectado  (43 MB)

Cor RGB:
sem projecção  (188 MB)
ETIQUETAS PARA OS PRODUTOS
Branco e preto
Cor
Cor combinada IRB
Cor combinada RGB
Produtos EDR

NB
IRB: infravermelho–vermelho–azul
RGB: vermelho–verde–azul


PRODUTOS FOTOGRÁFICOS
“arraste e solte” para HiView o clique para baixar


POLÍTICA PARA AS IMAGEMS
Todas as imagens deste site não tem limitações de uso. Elas são livres para o público e os meios de communicação. Quando possível, por favor incluir este aviso:
Imagem: NASA/JPL/University of Arizona


ADENDO
O Jet Propulsion Laboratory da NASA consegue a sonda MRO. A câmera foi construída pelo Ball Aerospace & Technologies Corp., e seu funcionamento é realizado pela Universidade do Arizona.